Arquivo da categoria ‘Comportamento’

Print Friendly

Janguiê Diniz2016Janguiê Diniz
Diretor presidente da ABMES
Presidente do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular

Fundador e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional
***

O Brasil enfrenta sua pior crise política e econômica da história. Entretanto, engana-se quem pensa que o problema brasileiro é econômico. Fato é que, o maior de todos os problemas atuais do Brasil está na crise ética e moral que permeia a maioria dos setores nacionais. A cada dia, mais um político é denunciado por práticas de corrupção e o governo não consegue manter uma estabilidade para pensar caminhos de recuperação.

A Operação Lava Jato, de longe a maior ação contra a corrupção nacional, iniciou seus trabalhos de uma forma pequena e ganhou apoio da população. Em três anos, foram julgados 650 recursos decorrentes das investigações. Aliado a isso, a população brasileira não é mais indiferente aos escândalos políticos e cobra, cada vez mais, punição aos envolvidos.

Leia mais »

Avaliar
Print Friendly

Antonio OliveiraAntônio de Oliveira
Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
antonioliveira2011@live.com
***

Um guarda-chuva resguarda as pessoas da chuva ou do sol. No caso do sol, seria, propriamente: guarda-sol, para os homens; para as mulheres, sombrinha. Conhecido também como chapéu-de-chuva, chapéu-de-sol, chapéu, para-sol, para-chuva, umbela, barraca.

O papagaio Zé Carioca é retratado carregando um guarda-chuva e é identificado com o malandro carioca, sempre se safando dos problemas com esperteza. Até debaixo do guarda-chuva aberto, como no filme “Cantando na chuva”, se pode dançar. Elis Regina “dança na corda bamba, de sombrinha”. Mary Poppins usa um guarda-chuva mágico como paraquedas. O extinto Banco Nacional era conhecido como o banco do guarda-chuva.

Leia mais »

Avaliar
Print Friendly

Domingo PenaDomingo Hernández Peña
Escritor, professor, consultor, Honoris Causa pela Anhembi Morumbi
***

Estamos, sim, no mundo todo, no final de uma época; no começo de outra; numa mistura de antes e depois, na que nada deixou de ser nem nada começou por completo. É como se estivéssemos numa guerra (na Terceira Guerra Mundial, talvez) que ainda não esgotou seu poder destrutivo nem permite adivinhar o que teremos que reconstruir depois.

Compreender e explicar essa catastrófica transição global não é coisa fácil, se a mesma não se fraciona e classifica em perigos maiores e perigos menores – em realidades de maior e menor proximidade.

E como estamos onde estamos nada impede que comecemos a explicar e a compreender o maior e mais próximo dos perigos: Brasil.

Leia mais »

Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics
Página 1 de 28412345...102030...Última »