Destaques
Facebook
Twitter

Sobre : Antonio de Oliveira

Nome Completo: Antônio de Oliveira
Site:
Detalhes:

Artigos do(a) Antonio de Oliveira:

    Antônio de Oliveira
    Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
    antonioliveira2011@live.com
    ***

    Saber esquecer o mal também é ter memória! E que memória! Bota memória nisso!… A propósito, use ponto de exclamação ou de admiração [!] para expressar o lado admirável do mundo e da vida. Incluindo ou não a presença dos pronomes que e quem, empregados exclamativamente: Magnífico! Bravo! Que beleza! Quem me dera! A propósito, e admiravelmente a propósito, a palavra milagre vem de “mirari” que, em latim, significa tomar-se de admiração ante coisas da vida que se impõem como boas, verdadeiras ou belas. E tomar-se de admiração é ter alma de salmista. É ter sensibilidade ante os céus que proclamam a glória de Deus e o firmamento que anuncia a obra de suas mãos.

    Com o ponto de exclamação, dê entoação à voz, solte um grito, um brado de prazer, de alegria. É goooool!… Na pontuação certa, dê vazão também à raiva, à tristeza. Vale soltar os cachorros. Ninguém é de ferro. De vez em quando, pode. Adélia Prado não escreveu “Solte os cachorros”? Jesus não expulsou os vendilhões do templo? De outra feita, também pegou pesado: Ai de vós, hipócritas!

    Leia mais »

    Compartilhe:
    Avaliar
    Antônio de Oliveira
    Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
    antonioliveira2011@live.com
    ***

    Os sinais de pontuação marcam o compasso e a harmonia na entonação das palavras. Conhecidos também como pontos de suspensão, pontinhos, três-pontinhos, os pontos de reticência indicam um certo suspense. Dot dot dot, como na canção Honey Honey, de Mamma Mia. Reticenciar indica, pois, interromper a cadência, num texto, seja porque fica facilmente subentendido o que não foi dito, seja porque a conclusão é evidente, seja porque é intencional a omissão de uma coisa que se deveria ou se poderia dizer, mas apenas se sugere. Inclusive depois de uma interrogação (?…) ou de uma exclamação (!…). Em certos casos pode haver uma segunda intenção e até uma terceira intenção. A interrupção proposital no meio de uma frase atende pelo pomposo nome de aposiopese, como em: Filho de peixe… (subentendido: peixinho é).

    “Reticências”, segundo Mário Quintana, “são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho”. Ainda Quintana: “A maior conquista do pensamento ocidental foi o emprego das reticências”.

    Leia mais »

    Compartilhe:
    Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics