Destaques
Facebook
Twitter

Arquivo da categoria ‘Cultura e literatura’

Print Friendly, PDF & Email

Ronaldo Mota
Membro do Colegiado da Presidência da ABMES
Chanceler do Grupo Estácio
***

O vocábulo “aluno” provém do latim alumnus, significando, literalmente, criança de peito ou aquele que se alimenta de leite. Em outras palavras, um lactante intelectual ou um discípulo. Alumnus ou alumni é proveniente do verbo alere que, em latim, significa alimentar, sustentar, nutrir ou fazer crescer.

Erroneamente, alguns textos tratam a palavra “aluno” como sendo a junção do prefixo grego a, que corresponderia a ausente ou sem, e o sufixo luno, derivado da palavra latina lumni, significando luz. Portanto, na incorreta versão, aluno seria aquele sem luz ou sem conhecimento. A falsa etimologia acima é menos inocente do que parece. Trata-se de equívoco que encontrou terra fértil naqueles que veem o aluno como alguém mais passivo no processo educacional. Ao tratá-lo como sem luz, corre-se o risco de findar transformando em fato algo que era, de início, somente uma simples confusão etimológica.

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar
Print Friendly, PDF & Email

Antonio OliveiraAntônio de Oliveira
Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
antonioliveira2011@live.com
***

No poema “Especulações em torno da palavra homem”, Carlos Drummond começa especulando: “Mas que coisa é homem, que há sob o nome?” Arrisco-me a especular sobre o que há sob o nome golpe, incluindo golpe de estado, subversão contra a “ordem” vigente e tomada de poder por indivíduo ou grupo. Para se alcançar êxito, pode depender de outros golpes, golpe de mestre, mediante ação audaciosa e bem-sucedida; golpe de vista, pela capacidade de observar com rapidez e precisão; golpe da sorte, decorrente de acontecimento súbito e inesperado.

Difícil computar as horas de debates inflamados o Congresso consome em assuntos menos relevantes ou de interesse próprio. Palavras são palavras, mas podem decidir a vida das pessoas quando se bate o martelo. O soltar a voz da araponga se diz golpear. Esse pássaro soante, também conhecido como ferreiro, ferrador ou pássaro-campana, quando canta, lembra o som do bater de ferro em uma bigorna. Já o araponga escuta e grava.

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar
Print Friendly, PDF & Email

wanda_camargoWanda Camargo
Educadora e assessora da presidência do Complexo de Ensino Superior do Brasil – UniBrasil
***

Prever o futuro é algo arriscado e tão incerto quanto o próprio futuro. Em meados dos anos 1950 as revistas de variedades tinham como marco futurístico o “ano 2000”, quando se supunha que os carros voariam em cidades semelhantes às do planeta Mongo, de Flash Gordon, e que viagens interplanetárias seriam corriqueiras. Sabemos que não é assim, embora exista a tecnologia para carros voadores, viagens à Lua tenham ocorrido e sondas chegado a Marte e outros planetas, isto não é parte da vida do cidadão comum a não ser como espectador.

Até o transporte aéreo supersônico de passageiros, com o Concorde, não se mostrou viável economicamente; excesso de consumo de combustível e pequena capacidade de passageiros tornaram as tarifas absurdamente caras, não cobrindo sequer custos operacionais, além de problemas no meio ambiente e restrições aeroportuárias.

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics