Destaques
Facebook
Twitter
Print Friendly

Antonio OliveiraAntônio de Oliveira
Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
antonioliveira2011@live.com
***

“Mundo mundo vasto mundo…” Rima com Raimundo, Edmundo, Segismundo. Em latim, “mundus” significa puro, limpo; antônimo de “immundus”, sujo. “Beati mundo corde”, bem-aventurados os de coração puro. Dada a sujeira, de natureza física e moral, talvez vivamos num mundo imundo.

Mundo cão, mundo das drogas, mundo dos aflitos, mundo dos marginais, mundo dos marginalizados; mundo da propina, mundo da pompa, mundo do sexo, mundo da mentira, o mundo político; mundo subterrâneo, mundo vale de lágrimas; mundo mediterrâneo; mundo cristão; os prazeres do mundo; mundo da fama, do poder.

Leia mais »

 
Print Friendly

Nelly de SouzaNelly Narcizo de Souza
Coordenadora da pós-graduação em Neuropsicologia Educacional e Desenvolvimento Infantil da Universidade Positivo e professora da Graduação em Pedagogia
***

Mais de vinte anos depois da Declaração de Salamanca e ainda não conseguimos construir contextos educacionais plenamente inclusivos. Venho me perguntando e propondo essa reflexão sempre que possível: onde estamos falhando? Já caminhamos tanto em termos de legislação, como de conhecimento. E a pergunta sempre vem: como construir uma escola inclusiva?

Várias são as questões que se interpõem na tentativa de responder a essas perguntas. Primeiramente temos que destacar que não se faz inclusão por decretos; mas sem eles, sem o aporte da lei, pouco seria possível. Em segundo lugar, não se faz inclusão educacional por descoberta de diagnósticos. Da mesma forma, sem eles não saberíamos qual é a especificidade de nosso alunado. Ainda, não se faz uma escola inclusiva apenas por vocação ou boa vontade. Foi-se o tempo em que poderíamos embasar a ação docente apenas com boa vontade; entretanto, sem tal dedicação talvez a frustração fosse ainda maior. Como diria Paulo Freire, é preciso esperança para que a luta não feneça. Por outro lado, ouço muito a queixa da falta de conhecimento a respeito do assunto. Contudo, pode-se perceber que mesmo tendo algum conhecimento a respeito do público alvo da Educação Especial, também se vê diante de dificuldades. Claro, que sem o conhecimento adequado nossas ações estarão ainda mais limitadas.

Leia mais »

 
Print Friendly

wanda_camargoWanda Camargo
Educadora e assessora da presidência do Complexo de Ensino Superior do Brasil – UniBrasil
***

Embora o medo faça parte da vida normal, desenvolver-se é sinônimo de aprender também a controlar este sentimento. Benéfico em muitos casos, pois é o medo que nos impede machucados sérios, queimaduras, quedas de grandes alturas, por outro lado pode ser incapacitante e prejudicar seriamente o processo de ensino-aprendizagem.

Assim, é importante, e de forma geral cabe à família, oferecer à criança um ambiente capaz de sustentar seu processo de amadurecimento, vencendo o medo e controlando a aflição normalmente presente também nas situações de apavoramento emocional.

Leia mais »

 
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics
Página 10 de 717« Primeira...89101112...203040...Última »