Destaques
Facebook
Twitter

Posts Tagged ‘Currículos’

José Eduardo Faria e Celso Campilongo*
Folha de S.Paulo, publicado em 1º de junho de 2014
***

Conscientes da defasagem entre o que ensinam e a realidade social, econômica, política e cultural contemporânea, várias Faculdades de Direito estão reformulando seus currículos. Os programas em vigor foram elaborados com base em alguns princípios fundamentais, como poder nacional, soberania e legalidade. São programas que valorizam os aspectos jurídicos de sociedades circunscritas por fronteiras e marcadas por conflitos basicamente interindividuais e que veem o Estado como um aparato de comando e subordinação, destacando a exclusividade dos tribunais na resolução de conflitos e adotando abordagens pedagógicas de caráter eminentemente forense.

A sociedade, contudo, mudou significativamente nas últimas décadas. Ficou mais complexa, mais funcionalmente diferenciada, tornando-se, assim, menos vertical e mais horizontal. A globalização pôs em xeque a ideia de soberania. A transterritorialização dos mercados de bens, serviços e crédito levou a um processo de convergência, harmonização e unificação de determinados institutos jurídicos. Organismos multilaterais assumiram competências normativas antes detidas pelos Estados nacionais, abrindo caminho para uma governança jurídica de múltiplos níveis. E as questões que dirigentes governamentais e operadores jurídicos têm de decidir adquiriram graus inéditos de especialização, possibilidades técnicas e riscos, convertendo a gestão do conhecimento numa das formas mais relevantes de trabalho das sociedades contemporâneas.

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar
Gabriel Mario Rodrigues 1Gabriel Mario Rodrigues
Presidente da ABMES e Secretário Executivo do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular
***

A sociedade atual é espetacularmente dinâmica, instável e evolutiva. Correrá sérios riscos quem ficar esperando para ver o que vai acontecer. O maior risco é a imobilidade.
(Luiz Almeida Marins Filho)

O Semesp – Sindicato de entidades mantenedoras do estado de São Paulo – está comemorando seu trigésimo quinto ano de existência e sua revista Ensino Superior pergunta quais são os desafios que o ensino privado terá nos próximos anos. É questão importante, pois em todo congresso mundial ou seminário acadêmico as lideranças são inquiridas sempre com a mesma indagação: como será a universidade nos próximos anos? Escrevemos baseado no que lemos, ouvimos e vivenciamos diariamente, analisando as transformações que acontecem atualmente em todas as áreas do conhecimento. A manifestação unânime é de que o sistema universitário deteriora-se ano a ano e que está sendo contestado em todo mundo, por não cumprir mais seu papel de vanguarda difusora do conhecimento. Respondemos prontamente à revista, apontando os indícios que mostram que o atual sistema para sobreviver terá de preocupar-se em resolver a maioria dos desafios a seguir elencados:

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar

Profª Maria Carmen Tavares Christóvam
Diretora da Gênesis Consultoria Educacional
***

SEPARANDO O JOIO DO TRIGO
Percebo que estamos diante da especial possibilidade de incentivar e dar evidência às Faculdades e Universidades que vem ofertando uma prática diferenciada de ensino, que possa representar alternativa eficaz para o oferecido pelas públicas.

Se verificarmos, a guerra das baixas mensalidades faz com que a maioria das Instituições trate a relação entre ensino e aprendizagem nos patamares falaciosos da instrução e treinamento (que se faz com professores sem engajamento, projetos pedagógicos estanques e com instalações e recursos apenas satisfatórios, se tanto). O resultado dessa prática gera interações inconsistentes do aluno com o mercado através de diplomas que não conseguem refletir densidades didático-pedagógicas.

Leia mais »

Compartilhe:
Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics