Print Friendly, PDF & Email
Getúlio Américo Moreira Lopes
Reitor do Centro Universitário de Brasília (Uniceub)
Membro da diretoria da ABMES
***

Ainda faltam três anos para a Copa do Mundo de 2014, mas as principais capitais brasileiras já estão a todo vapor na preparação para receber esse grandioso evento esportivo mundial.

Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Todas essas cidades têm uma coisa em comum: serão sede do mundial de futebol, que espera acolher cerca de 600 mil turistas. Atualmente, o Brasil recebe por ano 5 milhões de estrangeiros. A expectativa é que, em 2014, o país tenha crescimento exponencial de 30%, e alcance a marca de 7,2 milhões de visitantes.

Para atender a essa enorme demanda, estima-se que serão gastos, até o início da Copa de 2014, aproximadamente R$ 27 bilhões em verba pública. Só para o ano de 2012 estão previstos R$ 1,8 bilhão, que deverão ser destinados às obras para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Além desses dois grandes acontecimentos, o Brasil também vai receber a cúpula de desenvolvimento sustentável Rio+20, em 2012, a Copa das Confederações, em 2013, e os Jogos Paraolímpicos, que terão como sede o Rio de Janeiro, em 2016, e a Universíade de 2017, que o nosso governador Agnelo Queiroz luta para que Brasília seja a sede.

Com tantos eventos de nível mundial agendados para acontecer no Brasil nos próximos anos, o país deve investir em infraestrutura, mas também em outros importantes fatores para o sucesso desses projetos, como segurança, transporte e educação, com ênfase na qualificação profissional.

Dados divulgados recentemente pelo Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) apontam que a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, no Brasil, deve criar aproximadamente 5 milhões de empregos. Isso gera grande preocupação no mercado, uma vez que uma das maiores reclamações de empresas é a falta de mão de obra especializada para a execução dos serviços. É nítida a carência de profissionais bem preparados em alguns setores e, com a proximidade desses eventos de grande repercussão, os empregadores vão estar cada vez mais exigentes para contratar funcionários.

A área de tecnologia da informação, por exemplo, emprega atualmente 1,2 milhão de pessoas. Ainda assim, aponta um deficit de mais de 90 mil profissionais. Caso o quadro atual se mantenha, em 2013 serão 200 mil vagas em aberto. No ano de 2010, o setor teve crescimento de 15% e, para este ano, a estimativa é de 13%.

Para atender a essa crescente demanda, os cursos universitários estão cada vez mais se atualizando, inovando os métodos de ensino e oferecendo conhecimentos mais aprofundados para os alunos. O que faz a diferença em um bom profissional que se destaca no mercado de trabalho é a formação, a credibilidade da instituição, a equipe de professores e o reconhecimento do curso. Profissionais bem preparados têm carreiras de sucesso garantidas e, neste momento tão propício para alcançar o emprego dos sonhos, os centros de ensino superior do país têm um papel fundamental.

A expansão da rede hoteleira e gastronômica das cidades sedes promete gerar milhares de vagas, como outros setores da economia. Para atender aos mais variados tipos de públicos, os estabelecimentos deverão passar por revisões em seus serviços e quadro de funcionários. Isso vai demandar maior qualificação dos empregados, que inclui domínio de línguas estrangeiras e cursos específicos para o ramo, como gastronomia, turismo, ciências da computação, análise e desenvolvimento de sistemas de computadores.

Com a forte tendência de cada vez mais as relações serem mediadas por ferramentas digitais, cursos como engenharia da computação e análise de sistemas também são ótimas opções pra quem busca prospectivo futuro profissional.

O Brasil vai investir milhões de reais nas obras de infraestrutura e, proporcionalmente, irão surgir milhares de ofertas de trabalho para os profissionais ligados a engenharia civil, engenharia elétrica, construção de edifícios, arquitetura e urbanismo e cursos semelhantes.

Os centros de ensino superior, como o UniCeub, têm um importante papel nos eventos que serão o foco do mundo nos próximos anos. São eles os responsáveis por formar os cidadãos e profissionais que irão receber os turistas para vivenciar nossos hábitos, nossa cultura e analisar o que de melhor temos para oferecer. Afinal, todos os países estarão voltados para o Brasil e essas serão oportunidades únicas de mostrar que somos donos de belezas naturais, mas também de grandes talentos.

Avaliar

Deixe uma resposta

Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics