Print Friendly, PDF & Email

Por Bianca Estrella (assessora de imprensa da ABMES)

Aparentemente os parlamentares presentes no seminário “O papel da iniciativa privada no ensino superior: realidade e desafios para o futuro”, realizado na última quarta-feira (11) no Senado Federal, entenderam o recado dos mantenedores que tiveram voz na Casa.

Ao final do encontro o senador Romeu Tuma (PTB-SP) afirmou ter recebido ali as informações do que vem ocorrendo e as dificuldades dos mantenedores junto ao Ministério da Educação (MEC). Segundo o senador “as modificações através de regulamentos e resoluções a algumas leis estão confrontando o que deve realmente ser feito”. Para Tuma “há uma velocidade muito grande do ministério querendo modernizar e ferindo um pouco os princípios da legislação e pegando de surpresa algumas mantenedoras que têm dificuldades mas se empenham para atender as recomendações”.

O presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), senador Flávio Arns (PSDB-PR), disse: “vamos pedir estudos para a consultoria do Senado para detalhar as necessidades para pensarmos em encaminhamentos para soluções junto com as instituições, o Ministério da Educação e outros órgãos que por ventura sejam responsáveis”.

E no dia seguinte…*

Senador Flávio Arns

Senador Flávio Arns

Já na quinta-feira (12), posterior ao seminário, o senador Flávio Arns afirmou na reunião da CE estar indignado com a questão da prova do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), em que é feita apologia direta ao Presidente da República, acerca do desempenho do País no enfretamento da crise econômica mundial. “Bajular autoridades é tentação à qual o burocrata incompetente por vezes sucumbe, mas fazer isso na prova do ENADE chega a ser uma improbidade administrativa”.

Para o Senador, a questão deve ser anulada, pois faltou a resposta correta, que seria letra f: Esta questão é para agradar ao presidente Lula. “Essa flagrante atitude de propaganda do governo desmerece os estudantes brasileiros, que têm no ENADE a oportunidade de avaliar seus conhecimentos. Isso põe em risco a credibilidade do exame – tudo o que não precisamos é de marola na prova do ENADE”, conclui o Senador.

* Com informações da assessoria de imprensa do senador Flávio Arns (PSDB-PR)

Avaliar

Deixe uma resposta

Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics