Destaques
Patrocínio
Facebook
Júlio César de Castro Ferreira
Especialista em comunicação digital
www.produtoranebadon.com.br
***

Com a popularização dos smartphones a partir de 2008, se deu início a uma nova era no mercado mundial, a Era Mobile, que se fortaleceu muito nos últimos anos, especialmente à partir da chegada dos populares tablets.  Já faz tempo que os celulares são utilizados para muito mais do que falar, tirar fotos e enviar SMS,  na verdade, levando em consideração toda a tecnologia contida em um smartphone (Telefone inteligente), seria mais apropriado classificá-lo como um computador portátil do que como aparelho telefônico.

Entre os anos de 2011 e 2012 a utilização dos dispositivos móveis no mundo simplesmente dobrou, passando de 9% para incríveis 18% e, a previsão é que esses números se multipliquem exponencialmente para os próximos anos, especialmente levando em consideração a popularização dos preços praticados no mercado. Outro dado interessantíssimo é que no Brasil já temos 52 milhões de usuários acessando a internet através de unidades móveis, cuja média diária de utilização é de aproximadamente 85 minutos, acima da mundial fixada em 74.

Mas o que exatamente está mudando à partir da Era Mobile?

Na verdade a Era Mobile está impactando vários setores do mercado e muitas empresas vem se esforçando para acompanhar essas frenéticas mudanças para atender os exigentes consumidores conectados, que podem executar quase tudo o que fariam em um computador pessoal, só que na palma de suas mãos e de onde estiverem.

Vários segmentos já investem pesado na tecnologia mobile e empresas como companhias aéreas, lojas varejistas, instituições financeiras e algumas outras, apostam no poder deste mecanismo para o engajamento com seu público, entrega de mercadorias e pagamento de faturas.

Como exemplo podemos citar o que as instituições financeiras classificam como mobile payment, ou apenas m-Pavment, cujo conceito se resume em transações financeiras via terminais móveis, dispondo de rapidez, segurança e flexibilidade. De acordo com a Febraban, em 2012, 39% das transações via internetBank no Brasil foram feitas por dispositivos móveis. Além disso, a pesquisa do Ibope mostrou que 53% dos usuários de dispositivos móveis fazem consultas on-line para comparar preços no exato momento em que estão olhando os produtos em uma loja, e visando se tornarem mais competitivas as lojas varejistas fazem promoções relâmpagos oferecendo cupons de desconto para os seus clientes conectados.

O fato é que a Era Mobile agrega ao mercado um novo fator que é o diálogo instantâneo entre o público e as marcas, e de acordo com as previsões dos especialistas trata-se de uma possibilidade que influenciará profundamente a decisão do público alvo sobre o que e quando consumir.

O que isso pode impactar na minha instituição?

Levando em consideração o cenário apresentado acima fica fácil concluir que o setor educacional também foi bem influenciado pela Era Mobile, como de fato vem acontecendo. Atualmente ocorre uma grande pressão para que as tecnologias móveis sejam incluídas no sistema educacional, que já apresenta muitos casos públicos e privados sobre a utilização recente de mobiles na educação, em especial os tablets, que passam a fazer parte integrante do material escolar de alguns colégios e instituições de ensino superior. O movimento neste sentido é realmente grande, embasado em alguns argumentos e justificativas bem convincentes, como a substituição do livro impresso por conteúdos digitais, visando diminuir o peso da mochila, baratear o acesso ao conhecimento e ainda o apelo ecológico da diminuição na produção de material impresso. Além disso, existem os benefícios de usabilidade como a facilidade para realizar pesquisas em tempo real e a tela sensível ao toque que permite uma navegação mais intuitiva do que com o mouse, facilitando a usabilidade até de crianças menores, no caso de jogos e aplicativos educacionais.

Dessa maneira é possível perceber dois fatores importantes para instituições de ensino dentro deste tema, que são: a disponibilização dos aparelhos mobiles que serão utilizados pelos alunos, e a produção de softwares / materiais didáticos adaptados à essas plataformas. Atualmente existem boas empresas no mercado que desenvolvem aplicativos personalizados e conteúdos digitais cujo investimento necessário dependerá do nível de tecnologia aplicada e do volume do conteúdo. Porém, antes desses dois fatores existe outro que deve ser a base de qualquer instituição de ensino, em se tratando de tecnologia mobile, independente do nível educacional que trabalhe, modalidade, localidade ou tamanho. Trata-se do fator comunicação digital e aplicativos para internet, que é o foco que gostaria de aprofundar.

O que preciso fazer para adequar minha instituição a Era Mobile?

Antes mesmo de pensar em criar conteúdos digitais para serem aplicados pelos aparelhos mobiles é fundamental que a instituição priorize a utilização da tecnologia móvel na sua comunicação digital. O site de uma instituição de ensino é o principal elemento da comunicação digital e deve estar totalmente adaptado para ser visualizado a partir dos diversos formatos e tamanhos utilizados nos aparelhos móveis, seja em notebooks, tablets ou smartphones. E isso também se aplica a qualquer hotsite, aplicativo ou peça publicitária que venha a ser vinculada à comunicação digital. Colocando de outra maneira, o usuário tem que conseguir visualizar e navegar com facilidade no site e outros elementos de internet, utilizando qualquer plataforma móbile que tenha disponível em mãos. Isso será fundamental e decisivo para o nível de visibilidade e aceitação do seu site quando acessado de dispositivos móveis.

Inicialmente parece ser uma missão muito difícil e, dependendo do nível de tecnologia que é aplicada no site, como no caso das instituições que oferecem educação online (e-learning), realmente é. Porém, para a maioria das instituições que utilizam o site majoritariamente para fins institucionais e para comunicação com seus alunos, é muito mais simples e barato do que se imagina.

As instituições que trabalham com EAD online normalmente dependem de muita tecnologia de internet para o funcionamento dos softwares e aplicativos e, neste caso será necessário um desenvolvimento específico e mais aprofundado para que funcionem em plataformas móbiles. E mesmo para aquelas que não dependem de tanta tecnologia de internet, há bem pouco tempo atrás seria necessário desenvolver uma versão do site para cada tipo de dispositivo/resolução, o que incidiria em muito esforço e investimento. Porém, atualmente existe uma tecnologia mais barata e fácil de utilizar que atende com muita eficácia essa categoria de sites, que é o web design responsivo.

Um site construído utilizando essa tecnologia é classificado como um site responsivo, sendo capaz de se adaptar automaticamente a qualquer formato, resolução ou tamanho de tela, sem a necessidade da construção de sites distintos específicos para essa finalidade. Na verdade trata-se de uma tecnologia simples e barata que atende de imediato empresas e instituições que compreenderam a importância de adequar a sua comunicação digital à Era Mobile, atendendo cada vez melhor o público classificado como 3.0 (Matéria sobre o aluno 3.0 ). Sendo assim, caso o site da sua instituição ainda não esteja adaptado para se adaptar às plataformas mobiles é fundamental uma ação neste sentido que com pouco esforço e investimento pode fazer toda a diferença na imagem transmitida por intermédio de seu site.

Para os gestores que planejam desenvolver este tipo de trabalho para os sites de suas instituições, me coloco a disposição para indicar profissionais de alta qualificação e confiança para a sua execução, bastando solicitar pelo meu e-mail pessoal juliocesardecastrof@gmail.com.

Referências:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_Design_Responsivo

http://www.youtube.com/watch?v=AyV7ll85MqU

Avaliar

Deixe uma resposta

Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics