Sobre : Antonio de Oliveira

Nome Completo: Antônio de Oliveira
Site:
Detalhes:

Artigos do(a) Antonio de Oliveira:

    Antônio de Oliveira
    Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
    antonioliveira2011@live.com
    ***

    Etcétera é uma expressão que faz que diz mas não diz. Não enumera. Não determina. Por isso, em nenhum texto de lei se há de encontrar um etc. Tampouco na poesia. A não ser que seja um poema sobre etcétera. Em “ler pelo não, quem dera!”, Paulo Leminski propõe “ler pelo não, além da letra / ver, em cada rima vera, a prima pedra / onde a forma perdida / procura seus etcéteras”. E propõe ainda: “desler, tresler, contraler / elear-se nos ritmos da matéria / no fora, ver o dentro, e, no dentro, o fora / navegar em direção às Índias / e descobrir a América”.

    Mas quem disse que a comunicação tem que se esmiuçar em detalhes? “O melhor ainda não foi escrito. O melhor está nas entrelinhas.” “Mas já que se há de escrever, que ao menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas”. Pelo menos não vale esmagar com palavras as entrelinhas de Clarice Lispector.

    Leia mais »

    Avaliar
    Antônio de Oliveira
    Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
    antonioliveira2011@live.com
    ***

    Dei aula durante muitos anos. Hoje, não mais. E sabem qual a minha percepção? Independentemente de meu perfil de professor, sinto-me matriculado na escola da terceira idade, revendo conceitos e refazendo deveres de casa. Revendo conteúdo, ou técnica; linguagem ou estética; postura ou ética.

    Quanto ao conteúdo, o universo do conhecimento ampliou-se de forma imprevisível, irreversivelmente desafiante. Ninguém mais detém saber enciclopédico. Seguindo o mote “de tudo o que se possa saber”, Pico della Mirandola achava que tinha condições de discutir todos os ramos do conhecimento, fosse com que fosse. Mas isso no século XV. Hoje em dia…

    A linguagem também mudou. Evoluiu. Senhas criptografadas escondem e, ao mesmo tempo, desvendam segredos deste atual admirável mundo novo.

    Leia mais »

    Avaliar
    Antônio de Oliveira
    Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
    antonioliveira2011@live.com
    ***

    Saber esquecer o mal também é ter memória! E que memória! Bota memória nisso!… A propósito, use ponto de exclamação ou de admiração [!] para expressar o lado admirável do mundo e da vida. Incluindo ou não a presença dos pronomes que e quem, empregados exclamativamente: Magnífico! Bravo! Que beleza! Quem me dera! A propósito, e admiravelmente a propósito, a palavra milagre vem de “mirari” que, em latim, significa tomar-se de admiração ante coisas da vida que se impõem como boas, verdadeiras ou belas. E tomar-se de admiração é ter alma de salmista. É ter sensibilidade ante os céus que proclamam a glória de Deus e o firmamento que anuncia a obra de suas mãos.

    Com o ponto de exclamação, dê entoação à voz, solte um grito, um brado de prazer, de alegria. É goooool!… Na pontuação certa, dê vazão também à raiva, à tristeza. Vale soltar os cachorros. Ninguém é de ferro. De vez em quando, pode. Adélia Prado não escreveu “Solte os cachorros”? Jesus não expulsou os vendilhões do templo? De outra feita, também pegou pesado: Ai de vós, hipócritas!

    Leia mais »

    Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics