Arquivo da categoria ‘Avaliação e regulação’

Aparecida do CarmoAparecida do Carmo Frigeri Berchior*
Consultora, atua em pesquisa na área educacional, em elaboração e análise de currículos, implementação de novas metodologias e avaliação formativa
***

Muito se tenta implementar a avaliação formativa no contexto do processo ensino aprendizagem. Porém, ao se analisar grande parte dos métodos avaliativos no ensino superior, percebe-se que a natureza metodológica, para um alinhamento desta categoria, revela-se incipiente, ou então, só transita por aspectos técnicos formais. A avaliação formativa é mais do que uma estrutura; a dificuldade em implementá-la reside, justamente, em se elaborar uma avaliação contextual e problematizadora, articulada e inserida no processo ensino aprendizagem. Uma postura desta natureza exige um olhar mais amplo acerca da avaliação e, necessariamente, deve perpassar a construção do Projeto Pedagógico de Curso e as escolhas deste acerca das metodologias a se adotar no desenvolvimento da aprendizagem.

Modelar a avaliação por estruturas só formais apoia-se em uma visão simplista; modelar um processo avaliativo de natureza processual e formativo é tarefa complexa. A dificuldade em se adotar este perfil avaliativo deve-se, na maioria das vezes, à ausência de articulação com o processo ensino aprendizagem. Na verdade, a avaliação formativa revela, exatamente, o resultado de como este processo foi conduzido. Tal concepção de avaliação insere-se na prática pedagógica e não há, portanto, como se dissociar do conceito de “formativa”.

Leia mais »

Avaliar

Janguiê Diniz2016Janguiê Diniz*
Diretor presidente da ABMES
Secretário executivo do Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular

Fundador e Presidente do Conselho de Administração do Grupo Ser Educacional
***

O Sistema de Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes), instituído por meio da Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004, foi um ganho para educação no Brasil. Antes, o que havia eram algumas experiências isoladas de avaliação em vez de um sistema nacional vigente, aplicado pelo Ministério da Educação (MEC) de forma universal que abrangesse todas as instituições públicas, privadas e comunitárias.

A introdução dessa política de avaliação na graduação, com critérios e indicadores, estimulou nas Instituições de Educação Superior (IES) a preocupação pela qualidade do ensino e a necessidade de profissionalização da gestão. Dados obtidos por meio de um sistema público determinam parâmetros nacionais e internacionais para que a instituição tenha um ponto de partida para identificar o que deve ser aperfeiçoado e para planejar suas ações com esse foco.

Leia mais »

Avaliar

Paulo CardimPaulo Cardim
Reitor da Belas Artes e Diretor-Presidente da Febasp
Blog da Reitoria, publicado em 3 de abril de 2017
***

A avaliação na educação superior brasileira, desde o início, esteve ligada aos processos de regulação – autorização e reconhecimento de cursos –, na graduação e na pós-graduação stricto sensu, em níveis de mestrado e doutorado.

A avaliação dos cursos de graduação sempre esteve na área executiva do Ministério da Educação, mais recentemente, com a participação do Inep e, até pouco tempo, do Conselho Nacional de Educação. No presente, o Inep realiza a avaliação in loco e a Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) decide nos processos de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos de graduação – licenciatura, bacharelado e tecnólogo –, além dos relativos ao credenciamento e recredenciamento de faculdades, centros universitários e universidades.

Leia mais »

Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics