Arquivo da categoria ‘Novas tecnologias’

Paulo VadasPaul Ivan Vadas
Professor, palestrante, escritor e consultor em educação para instituições de ensino superior no Brasil e nos EUA
***

“When faced with a challenge, man has the ability to learn without instructors. This is how Benjamin Franklin, Abraham Lincoln, Thomas Edison, Henry Ford, the Wright Brothers and thousands of others highly successful people educated themselves. They used the art of self-education and self-challenges.”[1]

As convulsões sociais que temos presenciado nos últimos anos em vários países, como o Egito, a Líbia, a Síria, a Ucrânia e que agora desponta também no Brasil, têm sido caracterizadas por um fator comum: o uso intensivo e extensivo das tecnologias de informação que, além de facilitar a comunicação instantânea ao redor do mundo, têm sido utilizadas como instrumentos de conscientização popular, livre das reportagens “contaminadas” das redes Globo da vida. É uma nova era – a Era da Informação Personalizada, On Demand, Nas Palmas da Mão.

Leia mais »

Avaliar
Maria Carmen TavaresMaria Carmen Tavares Christóvão
Mestre em Gestão da Inovação
Diretora da PRO INNOVARE
Assessoria e Consultoria em Gestão da Inovação
carmemtr@gmail.com
***

O setor de serviços, sobretudo o segmento de educação, tem crescido nas maiores economias do mundo chegando a representar aproximadamente 65% na economia brasileira, o que emprega uma parcela importante da forca de trabalho disponível no mercado. A transformação das economias tanto mundial quanto brasileira em economia de serviços segundo PINHANEZ (2009) “esta forçando a transformação dos processos tradicionais de inovação no setor, particularmente, com a necessidade de inovação sistemática baseada em ciência e tecnologia”.

O setor educacional é de fundamental importância para o crescimento econômico e social do país nos próximos anos. Contudo, o segmento educacional, tanto privado quanto público apresentam grandes dificuldades de inovação em seu formato de oferta de serviços, pois a inovação em qualquer segmento de serviço deve ser alimentada por uma profunda compreensão, através da observação direta do que de fato as pessoas querem ou precisam como usuários. O processo de gestão nas instituições de ensino sempre se deu de forma hierárquica e pouco colaborativa, mesmo tendo por característica ser a organização mais humana, tanto nos processos quanto nos resultados. A cultura organizacional é um dos fatores que compromete a inovação, a criatividade e consequentemente a competitividade das empresas. Nesse sentido PINHANEZ (2009) afirma ainda que o fato de existir um baixo índice de inovação no segmento de serviços “deve ser creditada, ao menos em parte, ao relativo descaso em relação à pesquisa e à educação específica para o setor de serviços no mundo acadêmico”, o que reforça a ineficácia do modelo educacional vigente no sentido de formar um novo perfil de profissional.

Leia mais »

Avaliar
Valmor BolanValmor Bolan
Doutor em Sociologia
Especialista em Gestão Universitária pelo IGLU (Instituto de Gestão e Liderança Interamericano) da OUI (Organização Universitária Interamericana) com sede em Montreal, Canadá
***

Uma das grandes maravilhas do nosso tempo é a disponibilidade de meios a nossa volta que permitem o acesso ao conhecimento. Hoje realmente há uma democratização do saber, pois, principalmente pela Internet, temos como alcançar muitas informações, reportagens, documentos, textos em pdf, áudios e vídeos, enfim, uma infinidade de coisas que era inimaginável poucos anos atrás. É preciso, portanto, aproveitar essas possibilidades e organizar o nosso tempo para assimilar tantos conteúdos a nossa disposição. E também saber selecionar, distribuir assuntos por pastas, para agilizar as consultas e obter com maior rapidez as informações necessárias para pesquisas e estudos. E ainda: saber linkar as coisas, refletir sobre o que se quer priorizar em termos de análise, para que a informação não fique solta e para que tenha conexão com a realidade, deixando de ser apenas uma informação para se tornar conhecimento. Por isso o nosso tempo é fantástico, pela abundância de referências, pela diversidade cultural, pelas tantas possibilidades de acumulação de saber, e tudo isso para otimizar melhores condições de vida, com mais qualidade.

As tecnologias da comunicação devem ser vistas como fatores positivos, mas complementares, e que auxiliam. Mas é preciso atenção para que o estudo não fique na superficialidade, pois não basta apenas uma pesquisa de Google para dar conta do conhecimento que se faz necessário para as especializações das diversas áreas. Muitas vezes, até mesmo nas escolas, em curso de ensino fundamental e médio, os alunos acostumam-se a fazer trabalhos apenas por meio de uma pesquisa no sistema de busca, e simplesmente fazem cópia do conteúdo, leem por cima o assunto, fazem até uma exposição em grupo dos temas abordados, e fica por isso mesmo. É isso que não pode ocorrer. É preciso avançar mais, dedicar mais tempo ao estudo, ler livros, trabalhos especializados, toda uma literatura na área que se deseja atuar profissionalmente, além, é claro, de toda uma literatura que dê uma visão de conjunto das questões da atualidade, para que o aluno tenha opiniões balizadas em documentos e fontes primárias, e contextualizadas.

Leia mais »

Avaliar
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics