Carmem Maia
Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC SP e doutora em Educação pela Universidade de Londres
***

Prezada Dilma,

Tenho de confessar que dei um sorriso irônico de intima felicidade quando soube que o Khan se recusou a produzir material pedagógico para as escolas públicas brasileiras. Ele disse que isso é uma coisa a ser feita a longo prazo.  Não dá pra fazer de uma hora para outra.  Acho que a senhora deveria saber disto.

Com todo o respeito a senhora a deve ter ouvido o galo cantar, mas não sabe nem direito onde.  Sim, Khan teve uma boa sacada.  A de ensinar de um jeito fácil. Mas isso, Dilma, a gente já vem fazendo no Brasil, ou tentando, pelo menos.

A Escola do Futuro da USP há pelo menos 20 anos atrás tinha projetos bem mais inovadores do que esse.  O pessoal da UFPE, a turma do Silvio Meira também.  E na Unicamp, a sra. lembra da tartaruga ? O pessoal do NIED da UNICAMP eram feras nisso.  Isso sem falar nas faculdades particulares que desde que a internet deu as caras por aqui tem investido e muito em pessoal e tecnologia para desenvolver projetos bem semelhantes.

Fico surpresa com seu súbito interesse pelo Khan. Sim, ele é do Vale do Silicio e nós somos daqui.  Sim, ele é um gênio financeiro e nós somos educadores.  Sim, ele tem um bom marqueteiro, ou melhor, ele sabe muito bem vender seu peixe e nós ainda não sabemos nos vender suficientemente bem.  Estamos melhorando, é verdade.  Afinal, estamos na moda fora do Brasil.  A senhora sabe bem sabe disso, não?  Parece que não sabe ou não da o devido valor.

Aqui temos gente boa o suficiente para fazer tão bem, ou melhor, do que o Khan faz, com uma grande diferença, nós conhecemos bem nosso público, nossos problemas e nosso professor.

Louvamos sim a iniciativa e boa ideia do Khan, mas tem gente aqui que já tem feito o que ele faz há um bom tempo.  Com um mínimo de informação a senhora e seu governo saberiam.

Mas eu entendo, a senhora é brasileira. E como boa brasileira faz questão de prestigiar o que vem de fora. Uma pena.  Principalmente para quem é Presidente do Brasil.  Uma pena apenas não. Isso não deveria acontecer.

Bem feito que o coitado do Khan declinou do convite.  Ele disse que precisaria de tempo. Que não se faz nada bom num curto espaço de tempo.  Nós sabemos disso Dilma. E somos capazes de fazer, alias, já fazemos.  Chama a gente pra conversar que a gente dá uma aula sobre isso. De graça, com o maior prazer e com o melhor sotaque brasileiro. Empregando inclusive milhares de professores, pesquisadores e estudiosos do assunto. Yes, Dilma, we can!  Basta a senhora e seu governo acreditarem. É o famoso Santo de casa não faz milagres. Pena Dilma, a gente estava acreditando em você e em seu tino. Para variar,  gringo só quer levar o dinheiro da gente e esnobar em cima da nossa modéstia. Saiba que com a décima parte do dinheiro perdido pelos bueiros da nossa burocracia poderíamos estar quilômetros na frente de Mr. Khan.

Avaliar

Uma resposta para “Dilma, Khan e a bola fora”

  • ELDY FAGUNDES says:

    Professora Carmem, parabéns pela carta aberta a nossa presidenta. Realmente tanto ela quanto a sua equipe desconhecem os avanços da educação brasileira, bem como a competência dos docentes e pesquisadores brasileiros. Eu, particularmente, quando estava na ativa na rede pública do DF e já faz algum tempo sou testemunha de todo o trabalho realizado pela Unicamp.

     

Deixe uma resposta

Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics