Destaques
Facebook
Twitter
Print Friendly, PDF & Email

Antonio OliveiraAnt√īnio de Oliveira
Professor universitário e consultor de legislação do ensino superior da ABMES (1996 a 2001)
antonioliveira2011@live.com
***

O uso correto da v√≠rgula [,] √© dif√≠cil; j√° o do ponto e v√≠rgula [;] …

Luiz Fernando Ver√≠ssimo declarou que jamais havia usado um ponto e v√≠rgula e que esse nunca lhe fizera falta. Us√°-lo √© um sinal, al√©m de pontua√ß√£o, de refinamento, encantamento, glamour. L√™-se, em M√°rio Quintana: ‚ÄúQue mo√ßa culta a Maria Eduarda: ela usa ponto e v√≠rgula‚ÄĚ. Na verdade, √© chique usar ponto e v√≠rgula, mas, para empreg√°-lo corretamente, s√≥ mesmo revisitando Machado de Assis.

Costuma-se definir ponto e v√≠rgula como sinal de pontua√ß√£o que indica uma pausa mais forte que a da v√≠rgula e menos forte que a do ponto final. Seria o mesmo que dizer, em termos musicais, que a pausa de sem√≠nima dura o dobro da de colcheia, bem como a metade da m√≠nima. Se for poss√≠vel estabelecer uma rela√ß√£o da pausa musical com a da entona√ß√£o, a pausa de colcheia corresponderia √† v√≠rgula, a pausa de sem√≠nima ao ponto e v√≠rgula e, finalmente, a pausa de m√≠nima ao ponto final. Com efeito, em m√ļsica, pausa √© cada um dos sinais gr√°ficos que indicam o valor, isto √©, a dura√ß√£o dos sil√™ncios de um trecho musical e aos quais correspondem as notas.

Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email

Valmor BolanValmor Bolan
Professor da Unisa e ex-Reitor

Doutor em Sociologia e especialista em Gestão Universitária pela Organização Universitária Interamericana (OUI), sediada em Montreal, Canadá
***

O século 21 começou com grandes desafios, devido às mudanças que estamos vivendo, propiciadas pelos avanços tecnológicos. A questão é saber como ficarão os educadores diante desse novo contexto, ainda muito novo para todos.

Em breve, os computadores como conhecemos ser√£o substitu√≠dos por computadores qu√Ęnticos, com uma velocidade muito maior, pois os seus processadores (qubits) operam c√°lculos para al√©m da sequ√™ncia bin√°ria, baseado no sistema de numera√ß√£o natural. Os qubits s√£o unidades de informa√ß√£o qu√Ęntica, e trazem um novo paradigma operacional, com muito mais poder de c√°lculo, pois superam o sistema bin√°rio, podendo calcular com valores superpostos, em v√°rios n√≠veis, com isso quebrar√° tamb√©m a atual prote√ß√£o criptogr√°fica da internet, deixando o sistema on line muito mais vulner√°vel. Tudo isso trar√° novidades enormes no campo da intelig√™ncia artificial, e certamente os estudos e atividades no campo da ci√™ncia da computa√ß√£o ser√£o mais prestigiados.

Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email

Ronaldo Mota
Diretor Científico da Digital Pages e membro da Academia Brasileira de Educação
***

Humanos são humanos e máquinas são máquinas. Mesmo assim, a história humana pode ser contada a partir do uso de diversas ferramentas, as quais foram, no decorrer do tempo, se incorporando ao cotidiano, interferindo diretamente na evolução da espécie.

As m√ļltiplas maneiras com que os humanos t√™m feito uso de diversos utens√≠lios, ao longo de sua evolu√ß√£o, talvez seja a principal caracter√≠stica que nos distinga das demais esp√©cies. A habilidade no uso de varetas e pedras remonta h√° milh√Ķes de anos entre os nossos mais distantes ancestrais, mas h√° um longo e peculiar caminho at√© os dias atuais, quando √© poss√≠vel, por exemplo, implantarmos chips em nossos corpos. Leia mais »

 
N√ļmeros do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics