Destaques
Patrocínio
Facebook
Print Friendly, PDF & Email
João Faustino – Professor da UFRN
Tribuna do Norte, publicado em 27 de abril de 2011
***

O mundo passou a conviver com uma nova sigla – BRIC – cada letra representando a inicial do nome de quatro grandes países em processo de desenvolvimento. Diga-se que renomados especialistas chegam a incluí-los no rol das maiores economias do mundo. Brasil, Rússia, Índia e China exibem pontos comuns destacando-se os seguintes: estabilidade econômica; produto interno bruto em ascensão; mercado consumidor em alta; grande disponibilidade de recursos naturais; aumento da taxa de desenvolvimento humano; valorização do mercado de capitais e investimentos nos diversos setores da economia.

O Brasil se sente orgulhoso por assim ser visto pela comunidade internacional. Esse reconhecimento, entretanto, não nos exime da grande responsabilidade de fazermos deste momento algo duradouro e definitivo. Todavia, é bom lembrar que a sustentabilidade dessas condições está condicionada à real possibilidade que haveremos de encontrar para oferecer substancial melhoria à qualidade da Educação que oferecemos à nossa juventude. Preocupa-nos a constatação de que, dos países que compõem o novo bloco de emergentes, no caso o BRIC, Brasil e Índia são os que menos investem em Educação. – cerca de 4% do PIB, contra 8% na China e 5,2% na Rússia.
Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email
 Revista Linha Direta
Edição 157 – Abril de 2011
***

Em junho de 2010, o ministro da Educação, Fernando Haddad, declarou, durante a abertura do Seminário Internacional Cursos Superiores de Tecnologia: Educação e o mundo do trabalho, que a meta do país é atingir 10 milhões de universitários na segunda década do século XXI. Segundo o ministro, “é necessário que pelo menos 50% dos jovens entre 18 e 24 anos cursem o Ensino Superior”. Mas quais são os desafios para atingir essa meta? O que deve ser feito em médio e longo prazo? 

É essa discussão que norteará a realização do IV Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular, em Salvador/BA, nos dias 5, 6 e 7 de maio. A conferência magna – Políticas públicas para a expansão estratégica do Ensino Superior brasileiro – será realizada pelo ministro da Educação Fernando Haddad. A palestra Os desafios de colocar 10 milhões de estudantes no Ensino Superior contará com as análises de Gabriel Mario Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES); Luiz Cláudio Costa, secretário da Educação Superior (SESu/MEC); e Carlos Monteiro, fundador e diretor-presidente da CM Consultoria de Administração. 

Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email
Carta Capital, publicado em 25 de abril de 2011
***

A evasão de estudantes do Ensino Superior é um dos principais problemas da educação brasileira e causou um prejuízo estimado em 9 bilhões de reais na economia do País somente em 2009. Esses são alguns dos dados analisados pelo pesquisador Oscar Hipólito, ligado ao Instituto Lobo, por meio do Censo que o Ministério da Educação (MEC) realiza anualmente com as instituições de Ensino Superior no Brasil.

Segundo os números do MEC, 896.455 estudantes abandonaram a universidade entre 2008 e 2009, o que representa 20,9% dos alunos no Ensino Superior no momento, em média – ou seja, um em cada cinco alunos. Esse número já foi maior, mas ainda está muito além do que preza um bom projeto de Ensino Superior nacional. “Toda a macroeconomia é afetada com isso, pois não tem gente formada para movimentar o sistema. Com isso, acarreta a falta de desenvolvimento científico e tecnológico, e sem tecnologia própria você não tem um país desenvolvido”, diz Hipólito.

Leia mais »

 
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics