Destaques
Patrocínio
Facebook
Print Friendly, PDF & Email
 Luiz Fernando Gomes Guimarães
 Consultor em Educação
***

Diferentemente das décadas de 80 e 90 do século passado, a sustentabilidade das instituições de ensino superior privadas tem se transformado num grande desafio para os gestores dessas organizações. Cada vez mais a competição por novas matrículas se amplia e, apesar de todos os esforços, restam vagas disponíveis em todas as escolas superiores privadas de norte a sul do país. Por outro lado, as exigências dos órgãos reguladores são aprofundadas cotidianamente, gerando mais encargos sem que os mesmos possam ser repassados nas planilhas que definem as semestralidades a serem cobradas dos estudantes. Também nas instituições públicas a questão se mostra aguda.

A diferença restringe-se a quem paga conta. Enquanto nas escolas particulares as pessoas assumem os encargos individualmente, nas públicas a sociedade assume todos os custos através dos impostos que paga, num cenário onde as demandas sociais se avolumam por melhores serviços de saúde, saneamento, educação, segurança, etc.
Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email
Club do Advogado, publicado em 06 de abril de 2011

II SEMINÁRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO JURÍDICA
COMISSÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO JURÍDICA

31 DE MARÇO E 01 DE ABRIL DE 2011- RIO DE JANEIRO (RJ)

CARTA DO RIO DE JANEIRO

Os participantes do II Seminário Nacional de Educação Jurídica promovido pela Comissão Nacional de Educação Jurídica (antiga Comissão Nacional de Ensino Jurídico) – CNEJ, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – CFOAB, reunidos na cidade do Rio de Janeiro nos dias 31 de março e 1º de abril de 2011, debateram o tema “Necessidades Sociais e Expectativas da Educação Jurídica de Qualidade”, distribuído em oito painéis a seguir detalhados.

Nesta ocasião, as exposições e debates realizados envolvendo docentes, estudantes, representantes de cursos jurídicos, entidades civis voltadas à educação, advogados e autoridades do Ministério da Educação – MEC evidenciaram a importância da parceria OAB/MEC na busca da educação jurídica de excelência, bem como a importância da OAB ter oportunidade de indicar representante para o Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior – CNE/CES.

Leia mais »

 
Print Friendly, PDF & Email
Durval Romagnollo*
Especialista em Avaliação Institucional
***

A Avaliação de Aprendizagem tem sido polêmica na prática. De modo geral, o Regimento Interno das instituições apresenta uma forma e uma metodologia para aferir a aquisição de conhecimento, e os professores cada qual as executa à sua maneira. Apesar de a avaliação em si ter sido assunto de muitas discussões no ensino superior nos últimos anos, com muita frequência ela ainda aparece como uma forma de pressionar o aluno a aprender. Sabemos que, de fato, a verdadeira aprendizagem ocorre naturalmente, quando há interesse, necessidade e o processo é executado com vontade (diríamos prazer).

Ainda falta muito esclarecimento para que se entenda definitivamente que a avaliação não é um (ou um conjunto) de instrumento, mormente uma prova, mas um processo. (Lembramos aqui que o conhecimento das partes não nos dá a visão do todo.) E que ela sempre existiu como um meio de crescimento; evidência disso é que a praticamos a todo o momento. Cada decisão a ser tomada em nossa vida demanda uma avaliação (ponderação) para fazermos a escolha correta. E é por isso que estamos cada vez melhores. Qualquer atitude que fira essa lei natural comprometerá o resultado.

Leia mais »

 
Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics