Destaques
Patrocínio
Facebook

Júlio César de Castro Ferreira
Psicoterapeuta, coach, psicopedagogo e educador
Fundador e diretor da Woke Mind
***

Soft skills e competências socioemocionais são dois termos com o mesmo sentido, ambos atualmente muito presentes no meio empresarial e educacional devido à popularização da compreensão sobre sua relevância, sobretudo para o modelo social que caminhamos a partir da 4ª revolução industrial.

No meio empresarial, independentemente do segmento, cada vez mais são valorizados os profissionais com soft skills bem consolidadas, que se mostram tão relevantes, ou mais, do que as hard skills (habilidades técnicas), no contexto dos negócios. Ou seja, de nada adianta o profissional ter uma ótima qualidade técnica, se não sabe trabalhar em equipe, se relacionar com qualidade, manter sua automotivação ou utilizar a criatividade.

Em março de 2019 o Fórum Econômico Mundial, grande referência para o mercado global, publicou um relatório que apresentou sua lista atualizada com as “10 competências mais valorizadas para 2020”. Dessas, diversas são classificadas como soft skills, conforme segue:

* Soft skills em negrito

  • Resolução de problemas complexos
  • Pensamento crítico
  • Criatividade
  • Gestão de pessoas
  • Coordenação com os outros (trabalhar em equipe)
  • Inteligência Emocional
  • Capacidade de julgamento e de tomada de decisões
  • Orientação para servir (procurar ativamente formas de ajudar as pessoas/clientes)
  • Negociação
  • Flexibilidade cognitiva

No contexto educacional, as competências socioemocionais alcançaram grande projeção no cenário mundial devido ao reconhecimento de que a capacidade de gerir as próprias emoções impacta positivamente na maneira como os alunos aprendem os conteúdos, se relacionam, enfrentam as avaliações e desafios escolares. Além disso, estudos mais recentes evidenciam que para um desenvolvimento humano integral é necessário o aprendizado das competências cognitivas e das não cognitivas (socioemocionais). Por isso, recentemente, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) determinou a integração de diversas competências socioemocionais aos currículos escolares, com o objetivo de promover uma educação integral para os alunos brasileiros.

Como uma associação focada na área educacional, atenta às novas tendências e rumos sociais, a ABMES vem investindo no treinamento das soft skills de seus colaboradores.  Mais recentemente, em parceria com a empresa Woke Mind, a entidade promoveu um programa para o desenvolvimento da Inteligência Emocional que trabalha competências socioemocionais como: autoconhecimento emocional, controle emocional, automotivação, percepção do outro e inteligência interpessoal.

Além disso, a ABMES está se preparando para oferecer aos seus associados, ainda em 2020, cursos que visam o desenvolvimento das soft skills nos educadores, por entender que qualificar os profissionais do ensino é uma ação fundamental para que essas tão relevantes competências possam ser integradas ao sistema educacional brasileiro.

Avaliar

Deixe uma resposta

Números do Ensino Superior
Categorias
Autores
Arquivos
Visitantes
wordpress analytics